terça-feira, 26 de março de 2013

A POLICIA POLITICA NO ESTADO NOVO




CRACHATS DISTINTIVOS DA PIDE/DGS (1945-1974)

Hoje vou abordar de forma sucinta alguma informação sobre a Policia Politica do Estado Novo, conhecida como PIDE.Apresentarei dois distintivos, da PIDE/DGS, que hoje poderemos já considerar muito raros.
Estes foram fabricados entre 1945 e 1974, tendo ambos por isso mais de 40 anos.
Ambos são numerados, na parte detrás, mas por razões de sigilo, não irei publicar os números.

1- P.V.D.E-POLICIA VIGILANCIA DEFESA DO ESTADO

A 19 de março de 1933, é realizado um plebiscito nacional para aprovação ou recusa da nova Constituição que havia sido proposta pelo Governo em 1932. O "sim" ganha com larga maioria e a nova Constituição é aprovada. Com a entrada em vigor da Constituição de 1933, acaba a Ditadura Nacional e entra em vigência o Estado Novo.
Pelo Decreto-Lei n.º 22 992 de 29 de Agosto de 1933, a Polícia Internacional Portuguesa e a Polícia de Defesa Política e Social voltam a ser fundidas num único organismo que passa a ser a Polícia de Vigilância e Defesa do Estado. A PVDE inclui duas secções, a de Defesa Política e Social e a Internacional. A primeira é responsável pelo combate aos crimes políticos e sociais. A Secção Internacional é responsável por verificar a entrada, permanência e saída de estrangeiros do Território Nacional, a sua detenção se se trata de elementos indesejáveis, a luta contra a espionagem e a colaboração com as polícias de outros países.

Durante o seu período de existência destacaram-se as suas atividades contra as infiltrações em território português de elementos antagónicos durante a Guerra Civil de Espanha, as suas atividades como polícia política e as suas atividades de contra-espionagem durante a Segunda Guerra Mundial.
Em 1945, foi substituída pela Polícia Internacional e de Defesa do Estado.

2- P.I.D.E-POLICIA INTERNACIONAL DEFESA DO ESTADO

Em 1945, através do Decreto-Lei n.º 35 046 de 22 de outubro, a PVDE é transformada na Polícia Internacional e de Defesa do Estado. À PIDE são atribuídas funções administrativas e funções de prevenção e combate à criminalidade. No âmbito das suas funções administrativas, competia à PIDE a responsabilidade pelos serviços de emigração e passaportes, pelo serviço de passagem de fronteiras terrestres, marítimas e aéreas e pelo serviço de passagem e permanência de estrangeiros em Portugal. No âmbito das suas funções de prevenção e combate ao crime, competia à PIDE fazer a instrução preparatória dos processos crimes relacionados com a entrada e permanência ilegal em Território Nacional, infrações relativas ao regime das passagens de fronteiras, dos crimes de emigração clandestina e aliciamento ilícito de emigrantes e dos crimes contra a segurança interior e exterior do Estado.
Pelo Decreto n.º 39 749 de 9 de agosto de 1954, a PIDE é reorganizada, sendo prevista a sua instalação também nas ilhas adjacentes e no Ultramar. No entanto, essa instalação só ficará completa já na década de 1960. O mesmo decreto também torna a PIDE no único organismo com competência para a troca de informações de segurança com serviços similares de outros países.
Em 1968, na sequência de um acidente sofrido, Salazar é substituído por Marcelo Caetano na Presidência do Conselho de Ministros.


No contexto das suas funções no setor da segurança do Estado, destaca-se a importância da actividade da PIDE na neutralização da oposição ao Estado Novo.
A PIDE exercia actividade em todo o território português no sentido de evitar dissidências nas organizações civis e militares, usando meios e métodos baseados nas técnicas alemãs aplicadas na Gestapo, é considerada por muitos historiadores uma das polícias mais eficientes de sempre. Justificava as suas actividades com o combate ao internacionalismo proletário e comunismo internacional.
A PIDE era temida pela utilização da tortura e foi responsável por alguns crimes sangrentos.

Durante a Guerra do Ultramar, a PIDE, até aí virtualmente ausente dos territórios africanos, assumiu nos três teatros de operações a função de serviço de informações e - constituindo, enquadrando e dirigindo milícias próprias, os Flechas, compostas por africanos, por vezes desertores das guerrilhas - colaborou com as forças militares no terreno. Neste âmbito, poderá a sua acção ter também ultrapassado as fronteiras; com efeito, são-lhe atribuídas responsabilidades, quer no atentado que vitimou o dirigente da FRELIMO Eduardo Mondlane, quer na manipulação dos descontentes do PAIGC que, num "golpe de Estado" dentro do partido, assassinaram o dirigente independentista Amílcar Cabral.

A PIDE é extinta em 1969, pelo Decreto-Lei n.º 49 401 de 24 de novembro, sendo criada em sua substituição a Direção-Geral de Segurança.


                                                 CRACHAT DA DGS (1969-1974)

3-D.G.S-DIRECÇÃO GERAL DE SEGURANÇA

A Direção-Geral de Segurança ou DGS foi um organismo português de polícia criminal existente entre 1969 e 1974.
Apesar das suas funções incluirem, para além da segurança do Estado, a fiscalização dos estrangeiros, o controlo das fronteiras e o combate ao tráfego ilegal de emigrantes, historicamente, a DGS foi, essencialmente, uma polícia política responsável pela repressão politica, e sem controlo judicial, de todas as formas de oposição política ao Estado Novo.
A DGS foi criada em 1969, para suceder à Polícia Internacional e de Defesa do Estado (PIDE), pelo Decreto-Lei n.º 49 401, de 24 de Novembro de 1969, do governo de Marcello Caetano.
Foi extinta no continente e ilhas em 1974, na sequência da Revolução de 25 de Abril, pelo Decreto-Lei n.º 171/74
O seu último director foi o Major Silva Pais.

                                            
RUA ANTÓNIO MARIA CARDOSO LISBOA - SEDE DA PIDE/DGS
 
 
CRACHAT DA PIDE (1945-1969)
 

12 comentários:

  1. Amigo me podes mandar uma foto do cracha da pide por diante y detras com mais definiçao, que medidas tinha.
    Muito obrigado
    infop21@gmail.com

    ResponderEliminar
  2. Gostaria de saber se tem algum crachá para vender da DGS.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. tenho chachà genuino policia internacional om numero de três algarismos na traseira. Estado impecavel...vendo caro

      Eliminar
    2. tenho chachà genuino policia internacional om numero de três algarismos na traseira. Estado impecavel...vendo caro

      Eliminar
    3. Tenho crachá da PIDE para vender se estiver interessado envie email para eduxl69@hotmail.com

      Eliminar
    4. Tenho crachá da PIDE para vender se estiver interessado envie email para eduxl69@hotmail.com

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Tenho crachá da PIDE para vender se estiver interessado envie email para eduxl69@hotmail.com

      Eliminar