terça-feira, 28 de junho de 2011

DIVISÃO AZUL-PORTUGUESES NA FRENTE DE LENINGRADO



Bom Dia,

Publico hoje um interessante video, sobre a Divisão Azul, que combateu na Frente de Leningrado.
Alguns destes soldados que vemos podiam ser Portugueses...

domingo, 26 de junho de 2011

PORTUGUESES NA WHERMACHT:OS VOLUNTÁRIOS NA DIVISÃO AZUL

Boa Noite,

Junto parte do programa em anexo de várias conferências muito interessantes, a realizar durante 4 dias, no ICS. Existem temas para todos os gostos, onde naturalmente destaco a Conferência a realizar pelo Sr Ricardo Silva,sobre os Portugueses que estiveram na Frente Russa, durante a 2GM, na Divisão Azul de Voluntários.Sábado,2 de Julho, no ICS,1ºAndar, 8h45-10h15m-(secção 42 do Programa)
Para quem gosta destes temas, é certamente um "must"...



quinta-feira, 23 de junho de 2011

ALFREDO PIMENTA E A OPERAÇÃO BARBAROSSA



Boa Tarde,

Ainda sobre a Invasão Alemã (Operação Barbarossa), em que se comemoram por estes dias o 70ºAniversário,(22 Junho 1941)  passo a descrever parte do que foi escrito pelo Historiador  e Filósofo Português, Alfredo Pimenta, em "Contra o Comunismo", sobre a Invasão Alemã da Russía...

«Certos cronistas de guerra ou de acontecimentos internacionais dão à guerra germano-soviética dois caracteres que não estão de harmonia com as realidades nem com os altos interesses da Civilização: em primeiro lugar, chamam-lhe invasão da Rússia; em segundo lugar, atribuem-lhe o limitado objectivo da aquisição dos cereais da Ucrânia e das regiões petrolíferas adjacentes.


Ora não se trata propriamente de invasão da Rússia, com todo o perigo que tal expressa comporta. Invasão, por certo, na aparência; mas defesa pura, na substância.

Por outro lado, se o objectivo da missão germânica fosse apenas o dos cereais e petróleos do Sul da Rússia, era absolutamente incompreensível que a Finlândia se movesse, para... dar cereais e petróleos à Alemanha; que a Itália enviasse para os campos de batalha uma divisão, com o fim de a Alemanha adquirir petróleos e cereais; e que na Espanha já estivessem organizados 15 mil voluntários, com o heróico e lendário Moscardó à sua frente, para fornecerem petróleos e cereais à Alemanha...

Se este tivesse em mira apenas cereais e petróleos, facilmente os compraria a Estaline, como lhe comprou, em 1939, a neutralidade — embora por preço amargo e avantajado. Mas comprava...

Não. O objectivo da missão germânica ultrapassa os cereais e os petróleos do Sul da Rússia: é o Comunismo.

Quando, em 1939, o mundo ficou surpreendido com o Acordo germano-russo, sustentei sempre o seu carácter exclusivamente militar e a sua duração provisória, e tive sempre para comigo que mais cedo ou mais tarde, se efectuaria a liquidação do problema.

Veio mais cedo do que eu contava. Muito mais grave do que a falta, real ou suposta, dos cereais e dos petróleos, é, para a Alemanha, ter debruçado nas suas fronteiras, o Comunismo militante, expansionista, imperialista, internacionalista, absorvente.

E Estaline estava com pressa... Ele podia esperar o resultado da guerra, jogando na carta da derrota da Germânia. Mas ou porque desconfiasse da carta, ou porque calculasse ser seguro o golpe neste momento mais próximo, — certo é que acumulou divisões sobre divisões na fronteira ocidental, e em determinadas ocasiões, rosnou, por se sentir forte.

A Alemanha fez-lhe a vontade. E Estaline, creio-o em Deus!, tem os seus dias contados.

Os cereais? Os petróleos? Senhores! não façamos, ainda que involuntariamente, o jogo do Comunismo...

Porque é deste que se trata, ou para o servir, ou para o bater.

Nós estamos em guerra com o Comunismo desde 1926, isto é, desde que o 28 de Maio surgiu. Essa guerra tornou-se aguda desde que o Prof. Oliveira Salazar rege os destinos da Nação, imprimindo-lhes uma orientação decisiva. Já o escrevi: não temos representação diplomática e consular em Moscovo; não reconhecemos direitos civis ou políticos aos sovietes; opusemo-nos a que os mesmos ingressassem na Sociedade das Nações; fizemos tudo o que nos era possível, dentro das circunstâncias especiais nossa posição internacional, contra o Comunismo, na guerra de Espanha; multiplicaram-se, então, os comícios anti-comunistas; criou-se a Legião Portuguesa, para se bater o Comunismo; decretou-se que não se podia ser funcionário público sem previamente se declarar que se é anti-comunista; o Rádio Clube Português foi, no campo da Rádio, o grande órgão anti-comunista.

Foi assim, há três anos. O Comunismo estava, então mais próximo de nós, no espaço. Mas hoje, está muito mais junto de nós, ameaça-nos muito mais, — como potência ideológica e como realização prática.

E ainda ontem ouvi o interlocutor português (português, Santo Deus!) da B.B.C. de Londres, assegurar ao público português, que o Comunismo extinguiu o analfabetismo na Rússia, e fez dos seus camponeses admiráveis condutores de tractores agrícolas, e, portanto, notáveis condutores de tanks! Em síntese, ensinava ao público português, o locutor português que o exército russo imperial não prestava para nada; e que o exército russo vermelho é esplêndido!

Legionários portugueses! Anti-comunistas portugueses! Onde estais vós? Rádio Clube Português! Onde estais vós?

O perigo é, hoje, incomparavelmente maior.

Temos, à frente do governo, a figura séria e nobre de Salazar. Ontem, nos ásperos e difíceis anos de 1936-1939, ele conduziu-nos seriamente e nobremente, através do emaranhado das dificuldades, da selva escura das bizantinices, dos maquiavelismos tortuosos e das pressões e ameaças impertinentes.

Sem fanfarronadas ou imprudências, ele pode manter, no meio do temporal, a independência e a vontade do Estado. A Nação estava junto difíceis e mais ásperas, porque, desta vez, o Comunismo traz a máscara.

Se há três anos se mobilizaram oradores, conferencistas, escritores, jornalistas e emissoras, agora mais necessário se torna rodearmos o Presidente do Conselho, para que ele possa, hoje como ontem, resistir, e defender a Nação, em tudo quanto ela tem de belo e nobre, de substancial e específico.

Atingimos a hora alta da cruzada anti-comunista: a nossa História chama por nós. Faltaremos à chamada?»

terça-feira, 21 de junho de 2011

BARBAROSSA-A CRUZADA EUROPEIA ANTICOMUNISTA



Boa Tarde,

Comemora-se hoje o 70º Aniversário do início da "Operação Barbarossa", ou seja assinala-se a Invasão da Ex União Soviética pela Alemanha Hitleriana.Últimamente e face às últimas descobertas dos Arquivos Soviéticos, sabe-se hoje que Estaline preparava-se para Invadir o Ocidente, contudo acabou por ser surpreendido pela "antecipação" Germânica, já que consta que os Alemães tinham informações, de que a Russia Comunista se preparava para aniquilar o Ocidente, e assim estabelecer o regime Comunista em toda a Europa...Assim não aconteceu...sómente em 1945, quando da derrota Alemã, é que Estaline viu uma parte das suas aspirações satisfeitas, com a ocupação de toda a Europa de Leste...dando origem à célebre e tristemente conhecida "Cortina de Ferro"...

Nesta Cruzada participaram todos os Países Europeus, desde Alemães, Franceses, Dinamarqueses,Belgas, Holandeses,Noruegueses,Eslovacos,Croatas, Finlandeses,Italianos, Hungaros,Suecos,Lituanos,Letões,Estónios,Russos,Ucranianos, Espanhois....e pouco mais de centena e meia de Portugueses....
Sim Portugueses...estiveram na Frente Russa, na região Norte de Leningrado, integrados na Divisão Azul, tendo inclusivamente sido alguns deles condecorados por actos de bravura.Vai pois aqui uma palavra especial para aqueles Portugueses, que ficaram esquecidos para sempre nas Estepes geladas da Russia.É minha intenção apenas relembrá-los...independentemente das motivações que tenham tido, para se integrarem na Cruzada.Até Salazar se esqueceu deles...Por isso digo PRESENTE!

Insiro pois um video comemorativo,em Italiano, com imagens e som original da Propaganda Italiana, relativo a este acontecimento, que marcou a História da 2GM...e que acabou por ditar a derrota Alemã...

quinta-feira, 9 de junho de 2011

10 DE JUNHO-DIA DA RAÇA

Bom Dia,

Comemora-se hoje o 10 de Junho, Dia de Portugal, conhecido no tempo do Estado Novo, como o Dia da Raça.Fica aqui um pequeno video comemorativo dos Tempos do Estado Novo...com o Hino da Mocidade Portuguesa de Fundo, e no final com um discurso de Salazar celebrado no dia 10 de Junho de 1942....
video

ESTALINEGRADO -A DERROTA ALEMÃ (6)

ESTALINEGRADO -A DERROTA ALEMÃ (5)

ESTALINEGRADO -A DERROTA ALEMÃ (4)

ESTALINEGRADO -A DERROTA ALEMÃ (3)

ESTALINEGRADO -A DERROTA ALEMÃ (2)

ESTALINEGRADO -A DERROTA ALEMÃ (1)


No seguimento do meu último post, sobre o 67ºAniversário do final da Batalha de Estalinegrado, publico hoje 6 videos muito interessantes de excelente qualidade e legendados em Português, sobre o fim do 6ºExercito Alemão, e o consequente terrível destino dos Prisioneiros Alemães, nos Gulags Soviéticos....Boa Visão!

sábado, 4 de junho de 2011

MORAIS CALDAS-VIRIATO DO AR (7)

    MORAIS CALDAS (ESQ) E D.MARTINEZ DE PIZON

Oriundo do primeiro curso de cabos-pilotos organizado em Portugal combateu na Guerra Civil de Espanha, com o posto de Alferes Legionário,depois de ter obtido em Jerez de La Frontera, o diploma de piloto de aeroplano de Guerra.
Foi colocado na caça de assalto (Cadena) na frente de Teruel com maior permanência no improvisado aeródromo de Caudé, fazendo parte do grupo 4-G12 chefiado pelo destimido comandante D.Martinez de Pizon.
O grupo acima referido estava equipado com aviões Alfa Romeo 79.Ocasionalmente, esteve também colocado no grupo de Cadena 8-G18 e nos Grupos de Bombardeamento 1-G22 e 6-G28.Na caça de assalto levou  a cabo dez serviços sobre as trincheiras inimigas tendo sido atingido várias vezes.
Num dos seus primeiros serviços de Cadena, pediu-se muita eficiência para desalojar a infantaria comunista de uma trincheira muito sinuosa.Com grande risco de vida a primeira passada foi executada quase à flor da terra (um dos aviões deixou lá até ficar o trem de aterragem) para que as bombas se anichassem em plena trincheira,o que conseguiram.Com o pânico estabelecido o inimigo abandonou-a desordenadamente e então as metralhadoras de bordo,em vôo rasante,completaram a missão.Na fase final desta tarefa,a metralhadora do nosso compatriota encravou-se e institivamente passou a servir-se da pistola o que causou posteriormente no aeródromo animados comentários.
Depois da Guerra de Espanha, dedicou-se à actividade comercial.